Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Para ministro, China precisa crescer mais de 8% no ano

Uma taxa de crescimento econômico de 8% neste ano criaria 12 milhões de empregos, somente metade da necessidade de vagas que a China precisa para 2009, disse o ministro do Trabalho, Yin Weimin, num artigo publicado na edição de hoje do Diário do Povo. "Mais de 24 milhões de pessoas precisam de empregos este ano", afirmou Weimin. A meta do governo chinês era de manter a taxa de desemprego urbano formal em 4,6% neste ano e criar empregos para 9 milhões de pessoas.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

21 de agosto de 2009 | 07h36

A taxa de desemprego oficial no segundo trimestre foi de 4,3%, inalterada em relação ao primeiro trimestre. Mas a taxa não é um indicador preciso do desemprego na China porque engloba somente os trabalhadores formais em áreas urbanas, excluindo muitos emigrantes desempregados e os recém-formados. De janeiro a julho, o governo alcançou 74% da meta de criação de empregos para 2009, disse o jornal, editado mensalmente pelo Partido Comunista.

Assegurar empregos suficientes para o grande número de novos graduados é a preocupação do governo central neste ano. As pressões por emprego têm sido agravadas por milhares de trabalhadores emigrantes que perderam seus postos por causa da queda na demanda por bens chineses, devido à crise financeira mundial. A preocupação das autoridades com o desemprego continuou a aumentar apesar do crescimento da economia no primeiro semestre - resultado do enorme programa de estímulo implementado pelo governo chinês. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinacrescimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.