Para Nildo Masini, governo Lula deve focar indústria

A mudança de foco da política econômica para o setor produtivo é a grande expectativa do empresário Nildo Masini para um governo de Luiz Inácio Lula da Silva. "Se isso não for feito, o parque industrial brasileiro vai se sucatear rapidamente. O segmento industrial passa por extrema dificuldade porque nunca teve possibilidade de dialogar com o atual governo", disse, criticando a atual equipe por ignorar ou receber mal sugestões.Masini negou que tenha sido convidado para integrar a equipe de transição de um governo do PT, atribuindo os rumores a um relacionamento de 24 anos com o candidato iniciado nas mesas de negociação entre empregados e patrões no ABC paulista. Ele defendeu Lula, dizendo que, ao contrário das "posições duras e radicais" do passado, ele passou a ser um político realmente aberto ao diálogo.Ao ser indagado se os empresários esperavam ter assento num eventual ministério Lula, Masini disse que não considerava necessário, mas um convite seria bem-vindo. O fundamental de fato, de acordo com ele, é que Lula cumpra o que vem prometendo publicamente e tenha um diálogo permanente com representantes do setor industrial. "Isso nós vamos cobrar", advertiu o vice-presidente da Fiesp. Ligado historicamente a Orestes Quércia, o empresário foi suplente do ex-governador na disputa pelo Senado.A partir de uma vitória de Lula neste domingo, a expectativa de Masini é de que o dólar caia. "Não vejo razão para o câmbio ter essa valorização", afirmou, atribuindo a escala da moeda norte-americana a erros cometidos pelo Banco Central. O empresário também criticou a alta da taxa Selic para 21%, dizendo que "havia e ainda há possibilidade" de reduzir os juros para 15% ao ano.O áudio com a íntegra da entrevista com o empresário Nildo Masini está disponível no site AE Financeiro (http://www.aefinanceiro.com.br).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.