Para o Banco Central, nervosismo do mercado é natural

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse hoje que está analisando com cuidado o nervosismo do mercado financeiro nos últimos dias, que ele classificou como "movimentos naturais". "Não precisamos e nem devemos dramatizar os movimentos de mercado", afirmou.Meirelles disse que a alta das taxas dos títulos norte-americanos está reduzindo a liquidez para os países emergentes e provocando a queda dos C-Bonds, os principais títulos da dívida externa brasileira. Além disso, segundo ele, existe uma grande expectativa pela aprovação das reformas previdenciária e tributária. "Não devemos nos preocupar em excesso. Devemos fazer a nossa lição de casa", disse. Meirelles evitou antecipar uma possível redução nos depósitos compulsórios. "O Banco Central não faz comentários sobre declarações de políticos, analistas e empresários", afirmou após palestra para empresários mineiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.