Para o Cade, é difícil avaliar agora impacto do negócio

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) ainda não foi oficialmente noticiado sobre a possível fusão entre o Pão de Açúcar e o Carrefour. Dessa forma, o órgão considera difícil fazer uma avaliação dos impactos do negócio. Os integrantes do Conselho resolveram ser cautelosos em seus comentários. "É difícil fazer qualquer tipo de análise concorrencial neste momento. A análise antitruste é muito técnica e é preciso avaliar os mercados", justificou a autarquia.

Célia Froufe, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2011 | 00h00

O setor de varejo ocupa boa parte da lista de julgamentos que serão feitos nos próximos meses pelo órgão antitruste, entre eles duas operações envolvendo o grupo do empresário Abilio Diniz.

Se aprovada, a nova fusão se juntará a mais dois casos envolvendo operações do Pão de Açúcar que já estão nas prateleiras do Conselho: a união com o Ponto Frio e com a Casas Bahia. O setor de varejo é considerado a "bola da vez" nos órgãos que compõem o Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência (SBDC). Também estão em apreciação negócios como Ricardo Eletro e Insinuante e Magazine Luíza com Lojas Maia e Lojas do Baú Crediário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.