Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Para o SPC, tendência é de alta da inadimplência

O crescimento da inadimplência dos consumidores registrada no banco de dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) desacelerou e ficou em 4,39% em junho em relação ao mesmo mês do ano passado. Nessa base de comparação anual, o aumento do número de inadimplentes em maio havia sido de 9,56%. Apesar de o resultado representar a interrupção da trajetória de aceleração iniciada em janeiro de 2014, o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Júnior, avalia que a tendência é de alta para os próximos meses, em razão do contexto macroeconômico de juros altos e inflação elevada.

IGOR GADELHA, Agência Estado

11 de julho de 2014 | 15h01

Na variação mensal, de maio para junho, o número de consumidores com parcelamentos em atraso caiu 4,95%. Economistas do SPC Brasil avaliam, em nota distribuída à imprensa, que a queda de junho pode ser pontual e não deve se repetir ao longo dos próximos meses.

Dívidas em atraso

A quantidade de dívidas em atraso no banco de dados do SPC Brasil aumentou 5% em junho deste ano em relação ao mesmo mês de 2013. A variação ficou próxima à alta de 5,21% verificada em maio.

O resultado mantém o nível de crescimento anual, por volta de 5%, registrado desde abril. Analistas da SPC Brasil e da CNDL projetam, contudo, que a tendência é de alta desse indicador nos próximos meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.