Para OMC, não retomar negociações de Doha será mais grave

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy, classificou nesta terça-feira de "grave" a situação após a suspensão das negociações da Rodada de Doha, e disse que será "ainda mais grave" se os países não retomarem as negociações após um período de reflexão.O cancelamento foi decidido nesta segunda-feira em Genebra, após o fracasso da última reunião entre os principais parceiros comerciais, integrantes do Grupo dos Seis (G-6) - Estados Unidos, Brasil, Índia, União Européia, Japão e Austrália."O que desejo é que a gravidade da situação seja entendida pelos diferentes ´jogadores´, e que estes voltem" à mesa de negociações após mudar "de posição e de tática", disse Lamy à emissora France Inter.Lamy, que se negou a falar de "fracasso definitivo" da rodada de Doha, comparou a atual suspensão às conversas no "tempo técnico" em um jogo de basquete, no qual as equipes falam com seus treinadores antes de voltarem à partida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.