Para ONS, energia para 2003 depende de novas usinas

O presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Mário Santos, afirmou nesta terça-feira que o abastecimento de energia para 2003 será garantido se entrarem em operação as novas usinas que ampliarão a oferta em outros 5 mil MW de energia e a hidrologia (quantidade de água que chega aos reservatórios) for acima de 65% da média histórica. Em 2002, a hidrologia acumulada deste o início do ano é de 93% no Sudeste e Centro-Oeste e 77% no Nordeste. Santos garantiu apenas o abastecimento nos próximos dois meses, mesmo com as altas temperaturas e com a forte seca que atinge principalmente as regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. "Embora possa estar havendo risco de abastecimento de energia, os grandes reservatórios estão com nível 20% acima da curva de aversão ao risco", disse Santos, ao chegar para a reunião ordinária da Câmara de Gestão do Setor Elétrico. Segundo ele, os reservatórios que abastecem as hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste estão com 45,7% de sua capacidade. Já os reservatórios da região Nordeste estão com 27,5% de sua capacidade. Em meados de outubro do ano passado, o nível dos reservatórios era de cerca de 21%no Sudeste e Centro-Oeste e de aproximadamente 10% no Nordeste.Mário Santos informou que o consumo de energia em outubro cresceu cerca de 7,58%, principalmente em função da elevação da temperatura, que subiu cerca de 10 graus desde o fim de setembro. De acordo com o presidente do ONS, a tranqüilidade quanto ao abastecimento de energia deve-se principalmente a três fatores: a política de intercâmbio de energia entre as regiões, a economia de energia acima do previsto e o acréscimo de 5 mil MW no mercado com a entrada em operação de novas usinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.