Para Pereira, negócio foi ilegal

Em entrevista ontem à Rádio CBN, o brigadeiro José Carlos Pereira, ex-presidente da Infraero, confirmou ter recebido um telefonema da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, depois de ter dado declarações à imprensa afirmando que o negócio de compra da Varig pela VarigLog (que tinha como sócio o fundo americano Matlin Patterson) poderia ser "impatriótico". "Um jornalista me procurou e falou da possibilidade de a Varig cair na mão de controle estrangeiro e falei que isso era impatriótico. Na verdade, usei a palavra de forma errada. O certo seria ilegal", disse Pereira. O telefonema da ministra Dilma ao ex-presidente da Infraero foi revelado pelo ?Estado? na edição de ontem.Na entrevista à CBN, o brigadeiro conta que, no telefonema, a ministra "ponderou que eu não deveria fazer esse tipo de comentário". "Eu concordei com a ministra, o problema era da Anac, a Infraero não tinha que se meter", disse. Pereira disse que a conversa foi normal e negou que a ministra tenha sido dura. "A ministra Dilma tem seu modo de falar, mas de forma nenhuma (foi dura)." O brigadeiro conta ainda que, na época, não percebeu nenhuma anormalidade com os compradores da Varig. "Mas agora, pelas declarações da Denise (Abreu, ex-diretora da Anac), parece que realmente aconteceu alguma coisa errada, que o controle pode ter caído nas mãos do fundo americano."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.