Para PIB ter crescimento zero, alta deve ser de 5% no 4º tri

Gerente de contas trimestrais do IBGE apresentou projeções, que segundo ela não são feitas pelo Instituto

Jacqueline Farid e Alessandra Saraiva, AGÊNCIA ESTADO

10 de dezembro de 2009 | 11h53

A gerente de contas trimestrais do IBGE, Rebeca Palis, apresentou contas nas quais é apontado que para que o PIB ter um crescimento zero em 2009 será necessária uma expansão de 5% no quarto trimestre deste ano ante igual período do ano passado. Já para uma suposta queda de 1% no resultado do PIB em 2009, haveria uma expansão de 1% no quarto trimestre ante igual período de 2008. Segundo ela, as contas não são feitas pelo IBGE.

 

Rebeca admite que a revisão dos dados trimestrais e o resultado de 1,3% no PIB do terceiro trimestre ante o trimestre anterior, menor do que o estimado por analistas econômicos, mostra uma recuperação da economia menos intensa do que se acreditava, "mas seria exagero dizer que muda o cenário". Rebeca alerta que o "outlier" que foi excluído pelo modelo na série com ajuste, com a introdução dos dados do terceiro trimestre, poderá voltar mais à frente. "Pode ser que o modelo introduza o outlier de novo e se isso ocorrer teremos mais revisões na série com ajuste", disse ela.

 

Quando perguntada sobre por que motivo os dados do terceiro trimestre vieram abaixo do esperado, Rebeca respondeu que "revisamos toda a série e as pessoas que fazem projeções não dispunham desses novos dados".

 

O coordenador de contas nacionais do instituto, Roberto Olinto, disse que a questão do outlier não explica sozinho todas as revisões divulgadas hoje, que também foram influenciadas pela divulgação, já ocorrida anteriormente, dos resultados consolidados de 2007 e da introdução de novas informações, também já consolidadas, relativas aos dados de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEPIBcrescimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.