carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Para Plosser, Fed deve vigiar inflação

O Federal Reservedeve continuar vigilante sobre as crescentes pressõesinflacionárias neste ano, no momento em que a economia dos EUAdesacelerar com força, disse nesta quarta-feira o presidente doFederal Reserve da Filadélfia, Charles Plosser. Em um discurso ao Rotary Club de Birmingham, no Estado doAlabama, Plosser afirmou esperar que o crescimento dos EUA seja"bem fraco" no primeiro semestre e declarou que a taxa dedesemprego deve subir para 5,25 por cento até o fim do ano. No entanto, ele acrescentou que o núcleo da inflação,excluindo os voláteis custos de energia e alimentação,continuará acima de 2 por cento, forçando o banco central aacompanhar de perto as expectativas de inflação. "Infelizmente, eu espero pouco progresso para reduzir onúcleo da inflação neste ano ou no próximo e sou cético de quereduzir o crescimento econômico vá ajudar", disse. Desde setembro, o Fed reduziu a taxa de juros em 2,25pontos percentuais, para 3,0 por cento, com o objetivo deajudar a economia a assimilar uma profunda crise no setor demoradias e as restrições globais ao crédito. Plosser declarou que os cortes de juros foram pró-ativos,mas acrescentou que as decisões futuras vão depender dos dadose da habilidade de garantir a estabilidade dos preços assimcomo impulsionar o crescimento. GASTOS DO CONSUMIDOR Embora os gastos do consumidor tenham aumentado no anopassado, provavelmente serão mais fracos na primeira metade de2008, acrescentou Plosser. "Acho que os gastos do consumidor e as vendas no varejoserão mais fracos na primeira metade de 2008 do que em 2007. Emquanto, ainda precisamos ver." Embora tenha avaliado que isso contribuirá para desaquecero crescimento em cerca de 1 por cento no primeiro semestre,Plosser lembrou que o dólar fraco impulsiona as exportações. (Reportagem de Steven C. Johnson)

REUTERS

06 de fevereiro de 2008 | 17h44

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAPLOSSERATUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.