Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Para presidente do BBV, sobrarão 5 bancos múltiplos

O presidente do banco BBV, Benedito Vicente, afirmou que trabalha com o cenário de apenas cinco bancos múltiplos no Brasil, nos próximos três ou quatro anos. Ele participa de seminário sobre as perspectivas da economia brasileira, organizado pelo Instituto Brasileiro de Executivos e Finanças (Ibef). Vicente acredita que o número de bancos em operação deverá reduzir-se nos próximos quatro anos pela metade, ou seja, sair de 200 para 100 bancos. Atualmente bancos múltiplos no conceito que abrange varejo, atacado e corporate englobam duas dezenas, segundo Vicente Benedito. Ele observa que o setor bancário no Brasil tende a expandir a sua atuação e concentrar-se em poucas instituições. Ele revela que o BBV pretende ser o maior banco a atender a população que fala português, ou espanhol, com forte atuação no Mercosul. Segundo o executivo, o crescimento do setor no Brasil deverá ser "orgânico", mas não descarta aquisições. "Estaremos entre os cinco bancos múltiplos que estarão atuando no Brasil nos próximos quatro anos", disse. Vicente afirma que é preciso ampliar o número de clientes nos bancos no País. Segundo ele apenas 19% da população tem conta em banco no Brasil contra 90% na Espanha. O volume de crédito representa 27% do Produto Interno Bruto, contra 90% da Espanha. Ele disse que já tem autorização do BC para abrir 900 agências no País.

Agencia Estado,

30 de janeiro de 2001 | 11h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.