Para Rabello de Castro, BC pode cortar só 0,25

O economista e sócio da RC Consultores Paulo Rabello de Castro disse ontem que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central pode adotar a prudência na reunião da próxima semana e reduzir a Selic em apenas 0,25 ponto porcentual, de 8% para 7,75% ao ano. No mercado, a aposta praticamente unânime, apurada pelo AE Projeções, aponta uma queda de 0,5 ponto na Selic, para 7,5% ao ano.

GUSTAVO PORTO, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2012 | 03h06

Na avaliação de Rabello de Castro, as pressões inflacionárias já apuradas nos índices de preços no atacado - e que incluem a alta das commodities agrícolas, vinda principalmente por causa da seca e da quebra na produção de grãos nos Estados Unidos - podem influenciar a decisão do Copom.

"O ideal é que, mesmo se houver a queda de 0,25 ponto agora, o movimento de baixa siga nas próximas reuniões", disse.

A possibilidade de um corte de 0,25 ponto, no entanto, não é o cenário central da RC Consultores. Levantamento divulgado ontem pelo AE Projeções coloca a RC entre as 80 casas que apostam numa redução de 0,5 ponto da Selic no encontro do Copom de 28 e 29 de agosto.

Foram ouvidas 81 instituições. Só o Banco Ribeirão Preto (BRP) tem exoectativa de um corte de 0,25 ponto.

Consumo. Rabello de Castro criticou a adoção pelo governo de medidas para incentivar o consumo e a produção, como a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos. "São medidas acanhadas e pontuais, uma aspirina para quem tem doença grave, que é esse caos tributário em que vivemos. Isso só gera volatilidade no mercado, como é o caso agora da fila de meses de espera para receber um veículo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.