Para Rodrigues, renegociação da dívida rural é interessante

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, considerou interessante a proposta que foi discutida pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), para reduzir o endividamento do setor. A idéia, segundo informaram representantes de federações estaduais de agricultura, em Brasília, na semana passada, prevê a emissão de títulos mobiliários para quitar os débitos. O total da dívida só com os bancos atingiria um montante de R$ 13 bilhões. Os títulos, a serem negociados no mercado, teriam credores e produtores como garantidores e aval do Tesouro Nacional. O resgate deve acontecer em prazo superior a 10 anos. A proposta deve ser entregue ao ministro ainda nesta semana. "Acho interessante a idéia, porque não tem custos adicionais para o Tesouro, apenas os ligados à prorrogação e equalização de recursos. Vamos avaliá-la e discutir com a área econômica do governo com a expectativa de aprová-la", disse. Interferência O ministro não acredita que esta renegociação interferirá na elaboração do Plano de Safra 2006/2007. Ele reiterou, porém, que permanecerá firme no propósito de mostrar à área econômica a necessidade de estudar o endividamento do setor, com a possível prorrogação de vencimentos, sem que isso represente perda de acesso a novos créditos, ou então, explicou, "não adianta nada". Quanto ao plano de safra, a expectativa é evitar atrasos na liberação de recursos para financiamento da colheita, como ocorreu no ano passado. Ele espera que o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprove o plano já em abril, para que a verba chegue aos produtores rapidamente, coincidindo com os vencimentos de custeio que estão previstos para o mesmo período. Rodrigues aproveitou para minimizar os embates entre o Ministério da Agricultura e a equipe econômica do governo federal, no que se refere às reivindicações para o setor. Buscando o tom conciliador e afinado com outros membros do governo, ele afirmou ter uma expectativa positiva em relação à troca no Ministério da Fazenda, principalmente no apoio a programas de investimentos. "O ministro Mantega tem uma visão voltada para o desenvolvimento que muito nos interessa e tem sido um apoiador permanente das nossas reivindicações. A minha expectativa é muito favorável em relação a isso", enfatizou. Ele informou também que o pacote de medidas de desoneração tributária para o setor, chamada a nova MP do Bem para a agricultura, ainda estão sendo avaliada pelo governo. O ministro participou, no último domingo, de seminário na programação que antecede a Assembléia Anual de Governadores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que será aberta oficialmente nesta segunda-feira em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Agencia Estado,

03 Abril 2006 | 10h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.