Para Santander, inadimplência motivou queda do lucro

Por conta dos calotes maiores, o banco teve que fazer forte alta nas provisões para devedores duvidosos

Altamiro Silva Júnior e Cynthia Decloedt, Agencia Estado

26 de julho de 2012 | 11h29

SÃO PAULO - A alta da inadimplência foi o fator que fez o lucro líquido do Santander Brasil cair 17% no segundo trimestre, afirmou o presidente do banco, Marcial Portela. Por conta dos calotes maiores, o banco teve que fazer forte alta nas provisões para devedores duvidosos, destaca o executivo. Mesmo assim, o País foi responsável por 26% do resultado mundial do grupo espanhol.

Portela ressalta que a forte alta das provisões se deve a fatores "específicos e conjunturais" do segundo trimestre e não deve se repetir no segundo semestre. O aumento das provisões não foi por conta de uma linha específica, mas de todos os segmentos, na pessoa física e jurídica, segundo Portela.

A alta da inadimplência, na visão de Portela, ocorreu por fatores como o desaquecimento da economia e o endividamento das pessoas. "Parte das famílias tomaram dívidas superiores à capacidade de pagamento", disse ele.

Expectativa é de redução do calote

O executivo espera estabilização das taxas de inadimplência no terceiro trimestre e queda dos calotes no último período deste ano. Para o executivo, a taxa de inadimplência pode ter atingido seu pico de alta no segundo trimestre.

Ele avalia que alguns fatores devem levar à queda da taxa mais para o final do ano. Entre elas, Portela citou que o Santander desde meados do ano passado está mais exigente na concessão de crédito. Por isso, os créditos gerados mais recentemente têm melhor qualidade.

O Santander, segundo seu presidente, caminha para atingir "velocidade de cruzeiro" no segundo semestre. A atividade comercial do banco, destaca, vai bem. A expectativa é que a atividade melhore até o final do ano, com a economia se reaquecendo.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Santanderbalançosegundo trimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.