JULIA MORAES/ DIVULGAÇÃO
JULIA MORAES/ DIVULGAÇÃO

Para setor privado, investimento do governo é primordial

Indústria deve ser foco do novo presidente, diz Fiesp

Adriana Fernandes, O Estado de S. Paulo

24 de abril de 2022 | 05h00

BRASÍLIA - Entre os empresários, o baixo investimento em infraestrutura é uma das principais preocupações para que a produtividade dentro da fábrica não fique perdida fora dela, com os gargalos existentes. A avaliação é que é preciso mais investimentos para a indústria crescer. 

Um dos focos do novo presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Josué Gomes, é a reindustrialização. Hoje, a indústria de transformação responde por apenas 11% do PIB – já foi o dobro no passado. 

“O investimento privado em infraestrutura é fundamental e deve ser potencializado o máximo possível. Mas não se pode acreditar que o investimento público é desnecessário”, avalia Igor Rocha, economista-chefe da Fiesp. Ele alerta que, no agregado, considerando-se investimentos públicos e privados, o País perde infraestrutura a cada ano.

Nos seus cálculos, o Brasil precisa de cerca de R$ 290 bilhões de investimentos por ano (4,3% do PIB) e não investe sequer R$ 130 bilhões (menos de 2% do PIB). “Não cobrimos sequer a depreciação dos ativos de infraestrutura do País, assim temos uma contração do estoque do total de infraestrutura sobre o PIB.” Em 1980, esse estoque como porcentual do PIB era de cerca de 56% e hoje está em 36%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.