Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Parada LGBT é palco de ‘guerra das cervejas’

A Heineken quer ganhar visibilidade, substituindo a Skol, da gigante Ambev, que era a cerveja oficial do evento desde 2016

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2019 | 05h00

Após uma negociação rápida, de menos de uma semana, a Amstel – marca do grupo Heineken – fechou na última quinta-feira um contrato de patrocínio com a Parada LGBT paulista, marcada para o próximo dia 23. Com o movimento, a marca quer ganhar visibilidade, substituindo a Skol, da gigante Ambev, que era a cerveja oficial do evento desde 2016. “A diversidade é um pilar da marca, que, afinal, foi criada em Amsterdã”, disse ao Estado o gerente de marketing da Amstel, Renan Ciccone.

A troca de bastão, no entanto, pode não acontecer – pelo menos do que depender do time de marketing da Skol. Segundo apurou o Estado, a marca acreditava ter uma negociação em curso com o evento – e diz que está disposto a dividir espaço com a marca de sua principal rival (a Ambev lidera o mercado, com a Heineken na segunda posição). “É uma causa, e não uma questão comercial. Então, podemos estar ao lado de uma rival”, disse uma fonte ligada ao caso.

Independentemente do desfecho, a Skol não pretende ficar calada. Para junho, programou homenagem às drag queens – com a submarca Skolbeats – e uma ação ligada a embalagens com as cores do arco-íris. Procurada, a organização da Parada não retornou os contatos da reportagem.

Tudo o que sabemos sobre:
AmbevHeinekenSkolParada Gay

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.