Paraguai fecha fronteira a bovinos e suínos do MS

As autoridades paraguaias proibiram hoje a entrada de bovinos e suínos, assim como de carne fresca e de outros produtos animais, procedentes do Mato Grosso do Sul, que identificou um foco de aftosa. O Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa) divulgou que a medida, de caráter temporário, representa a proibição da entrada de "animais, produtos e subprodutos de origem animal" procedentes do Mato Grosso do sul.A proibição inclui ruminantes e suínos domésticos, sêmen e embriões desses animais, carne fresca, laticínios que não tenham sido tratados e produtos de origem animal destinados ao uso farmacêutico. A resolução prevê, além disso, a apreensão "de todos os animais suscetível à febre aftosa" e a destruição imediata de todos os produtos que forem pegos em infração".O diretor do Senacsa, Hugo Corrales, anunciou em entrevista coletiva que todos os escritórios do organismo da zona fronteiriça foram reforçados para estabelecer "postos de controles estratégicos". Corrales explicou que o rebanho paraguaio, de cerca de 9,5 milhões de cabeças, está suficientemente "imunizado" depois de uma recente campanha de vacinação que atingiu 90% dele. Ele acrescentou que na zona de risco brasileira há cerca de 133.000 cabeças, das quais 129.000 foram vacinadas.Vendas do MercosulO ministro paraguaio de Agricultura e Gado, Gustavo Ruiz Díaz, disse hoje que não espera que o foco de febre aftosa detectado no Brasil tenha grande repercussão nas vendas de carne dos países da região. Brasil e Paraguai integram o Mercosul junto com a Argentina e o Uruguai.Ruiz assinalou que os principais compradores de carne bovina paraguaia já foram informados da situação, como Rússia, que importa 51% do produto local, e o Chile, destino de cortes selecionados. "Acho que neste momento a situação está controlada", disse Ruiz. O Paraguai recuperou neste ano o status de país livre de aftosa.SuspensãoNa manhã desta terça-feira, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul (Famasul), Leôncio de Souza Brito Filho, informou que o Chile e a Rússia suspenderam as compras de carnes do Brasil. A medida refere-se à carne bovina, suína e de frango do Mato Grosso do Sul, onde foi registrado foco de febre aftosa. A produção dos demais Estados não sofreu qualquer embargo por parte do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.