'Paraguai não falará como súdito', diz vice-presidente

O Paraguai vai insistir em elevar o preço da eletricidade e em modificar o Tratado de Itaipu. Isso ficou claro hoje, durante a peregrinação do vice-presidente eleito do país vizinho, Federico Franco, pela capital federal. Ele foi recebido pelo vice-presidente da República, José Alencar, e depois pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. Também esteve no Congresso, onde conversou com a bancada paranaense do Senado."A partir de agora, o Paraguai vai falar como proprietário, como aliado e não mais como súdito", afirmou. Ele insistiu que é preciso encontrar-se um "preço justo" pela energia do Paraguai. Questionado se pressionaria por modificações no Tratado de Itaipu, ele afirmou: "Não há nada, nada, que não possa ser tratado com diálogo e paciência." O governo brasileiro já deixou claro que está aberto a negociações, desde que elas não passem por alterações no Tratado. Isso foi reafirmado ontem por Alencar, após a reunião com Franco. "Não há a menor chance de mudar o Tratado", afirmou. Ele acrescentou que as negociações entre Brasil e Paraguai não têm relação com o que foi tratado na campanha eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.