coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Paraguai reduz imposto para atrair consumidores brasileiros

O governo do Paraguai diminuiu 10% do Imposto sobre Valor Agregado (IVA) que incide sobre os produtos importados adquiridos por estrangeiros para estimular a formalização das empresas e, acima de tudo, o comércio de Salto del Guairá e Ciudad del Leste, as cidades que atraem o maior número de turistas àquele país."Este é o único caminho para recuperamos parte de nossa vitalidade", afirma o presidente do Centro de Importadores e Comerciantes de Alto Paraná (CICAP), Charif Hammoud. Segundo ele, a formalização do comércio de Ciudad del Leste, iniciado no final do ano passado com as empresas de informática, responsáveis por metade do volume comercializado na cidade, deverá atrair grandes empresas para a região de fronteira com o Brasil. "As grandes empresas não têm condições de se instalar aqui por causa da concorrência desleal", observa.O rigor na fiscalização das mercadorias adquiridas no Paraguai pela Receita Federal provocou uma redução drástica no volume de negócios de Ciudad del Leste, que há dez anos importava US$ 3 bilhões anuais - o equivalente à metade de todo o Produto Interno Bruto paraguaio - para revender a consumidores brasileiros. Esse comércio, de acordo com o Banco Central daquele país, foi reduzido 75%, totalizando no ano passado US$ 860 milhões.A formalização do comércio de Ciudad del Leste deverá voltar a atrair os turistas brasileiros àquela cidade, prevê Hammoud. O fluxo de turistas caiu 80% em relação a dez anos atrás por causa da presença massiva de "sacoleiros", os pequenos comerciantes ou intermediários que vão até lá para adquirir mercadoria para revenda no Brasil. Por causa do cerco da Receita, em ação conjunta com as polícias federal e Rodoviária, "os sacoleiros estão diminuindo e os turistas aumentando", afirma o empresário.A nota fiscal expedida pelas lojas de Ciudad del Leste é reconhecida pela Receita, facilitando, assim, a declaração da mercadoria nas aduanas, e serve como termo de garantia do produto adquirido.AduanaA entrega da nova aduana da Receita na cabeceira da Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu a Ciudad del Leste, prevista para a segunda quinzena de agosto, está com as obras atrasadas. A Receita somente irá definir a nova data de inauguração após a conclusão da obra. A aduana permitirá a fiscalização de todas as pessoas e veículos que cruzarem a ponte.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2006 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.