Paraíso das pechinchas em estandes de 8 m2

Os outlets de São Paulo são um paraíso para quem gosta ou precisa de pechinchas. Lá é possível encontrar produtos eletrônicos, charutos, acessórios para celular, bijuterias, roupas femininas e masculinas, artigos esportivos, artesanato, CDs, perfumes e muito mais. E muita coisa a preços inferiores aos dos shopping centers tradicionais. Um exemplo é o Promocenter, localizado na Rua Augusta. Enquanto o mini-shopping tem 135 estandes distribuídos por 1.500 m2, o Shopping Iguatemi, na Avenida Faria Lima, tem uma área 23 vezes maior (34 mil m2) e 388 lojas. "Os preços são mais baixos porque os lojistas pagam apenas R$ 350 por m2 e trabalham diariamente", afirma Silvio Campos, diretor do Promocenter. Nas banquinhas de eletrônicos, que ocupam 60% das vagas, podem ser encontrados de miniwalkmen a máquinas fotográficas e filmadoras. Só é preciso tomar cuidado com a procedência dos produtos. Muitos dos lojistas não fornecem nota fiscal. Na loja de Yu Pei, a de n.º 87, um aparelho de som digital Panasonic, com CD, rádio e cassete, sai por R$ 295 (à vista) e R$ 300 (em duas vezes). O walkman digital Aiwa sai por R$ 85 e o videogame PlayStation 1 custa R$ 350. A garantia é de três meses. "Se der problema, troco na hora", diz Yu. No estande 73, há perfumes importados de marcas famosas como Jean-Paul Gaultier, Calvin Klein, Givenchy e Moschino e produtos de beleza. O esmalte brilhante com estrelinhas e corações, ideal para adolescentes, sai por R$ 5. Quem gosta de roupas e acessórios orientais encontra várias opções no estande 84. Há xales (de R$ 60 a R$ 90), vestidos indianos (R$ 40) e chineses (R$ 280) e sapatos da Indonésia (R$ 120). Os charutos, da Tabacaria Ottani, custam de R$ 2 a R$ 48 a unidade. A Compact Blue tem 30 mil títulos de CDs, além de DVDs e vídeos, e aceita encomendas. O novo CD do Garbage, Beautifulgarbage, que acaba de ser lançado nos EUA, custa R$ 65.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.