Paralisação da BRA beneficia a TAM

Empresa foi a única que ganhou fatia de mercado em novembro

Alberto Komatsu, O Estadao de S.Paulo

07 de dezembro de 2007 | 00h00

A TAM foi a empresa aérea que mais se beneficiou com a paralisação da BRA, no início de novembro. Levantamento mensal da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostra que a líder no transporte aéreo doméstico foi a única entre as quatro maiores do setor que teve aumento de participação de mercado em relação a outubro, com 49,92%, ou 3,36 pontos porcentuais a mais no volume de passageiros transportados. Já a OceanAir, que na teoria herdou a operação da BRA, viu sua fatia recuar de 2,94% para 2,83% no mesmo período.O fluxo de passageiros no mercado doméstico cresceu 14,3% em novembro, com 8,6% de expansão na oferta de assentos. Juntas, TAM (49,92%), Gol (41,53%) e Varig (2,66%) - as duas últimas pertencentes ao mesmo grupo desde abril - responderam por 94,11% do setor. Para o exterior, as companhias aéreas brasileiras registraram aumento de 32,7% no volume de passageiros transportados e avanço de 44,4% no número de assentos oferecidos.EXTERIORO ranking internacional segue liderado pela TAM, com 73,18%, seguida da Gol, com 13,22%. A Varig está na terceira colocação, com fatia de 12,86%. A taxa de ocupação das aeronaves, no mercado interno, foi de 70% em novembro, ante 67% do mesmo mês do ano passado. Para o exterior, o aproveitamento dos aviões ficou em 62%, recuo de cinco pontos porcentuais em relação ao desempenho do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.