finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Paralisação de metalúrgicos afeta ABC e São José

Metalúrgicos deram início nesta quarta-feira, 18, a paralisações em fábricas da Grande São Paulo e no Vale do Paraíba, reivindicando aumento salarial e redução da jornada de trabalho. Segundo informações preliminares do sindicato da região do ABC paulista, 23 empresas foram afetadas hoje nas cidades de São Bernardo, Diadema e Ribeirão Pires. A entidade deve divulgar à tarde um balanço dos atos na região.

KELLEN MORAES, Agencia Estado

18 de setembro de 2013 | 13h14

Em São José dos Campos, de acordo com o sindicato da região, quatro empresas pararam. O representante da CSP-Conlutas e presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Antonio Ferreira de Barros, afirmou que 1.800 funcionários da TI Automotive, Parker Filtros, Retim e Schrader (esta no município de Jacareí) participaram da mobilização. Para esta quinta-feira, 19, estão previstas mais paralisações na base territorial do sindicato, que reúne 43 mil trabalhadores.

Os atos incluíram suspensão na produção por apenas uma hora e paralisações de um dia de trabalho. A mobilização ocorre um dia após as centrais sindicais CSP-Conlutas, CUT e Intersindical terem decidido unificar as campanhas salariais dos metalúrgicos em todo o Estado de São Paulo. A decisão foi tomada para fortalecer a campanha da categoria ligada a essas centrais, que soma cerca de 360 mil metalúrgicos no Estado. A pauta de reivindicações incluiu aumento salarial de 13,5%, a redução da jornada de trabalho de 44 horas para 40 horas semanais e a retirada da Câmara dos Deputados do projeto de lei que regulamenta a terceirização, entre outros itens.

Tudo o que sabemos sobre:
metalúrgicosparalisação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.