Paralisação provoca atraso em quase metade dos voos em Congonhas

Parada parcial de funcionários da TAM teve início na manhã desta 5ª feira

estadão.com.br,

22 de dezembro de 2011 | 08h17

SÃO PAULO - A paralisação dos aeroviários da companhia aérea TAM já afeta o movimento no aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo. Segundo boletim da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), quase metade dos 138 voos programados (66 ou 47,8%) sofreram atrasos e 23 (16,7%) foram cancelados em Congonhas até as 13h (saiba seus direitos em caso de atraso ou cancelamento).

Pela manhã, a paralisação parcial dos empregados do setor de rampa da companhia aérea (responsáveis pelo manuseio de cargas e bagagens e pelos equipamentos de solo que atendem as aeronaves) provocou atrasos e cancelamentos no aeroporto. 

"Antecipamos a greve marcada para as 23 horas de hoje para a parte da manhã, para sensibilizarmos os juízes que participarão da reunião de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), marcada para as 13 horas", explica Francisco. Os aeroviários realizam também uma manifestação no saguão do aeroporto, que deve durar até as 12 horas, quando os manifestantes devem seguir para o TRT, no centro da cidade, segundo Alves.

De acordo com a Infraero, a paralisação e a manifestação dos aeroviários não afetam as operações do aeroporto, apesar de confirmar que havia grandes filas nos guichês de check in das empresas Gol e TAM, durante a manhã.

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), João Oreste Dalazen, determinou na véspera que pelos menos 80% dos aeronautas e aeroviários trabalhem nas vésperas do Natal e Ano Novo. Se a determinação não for cumprida, os sindicatos das duas categorias poderão pagar multa diária de R$ 100 mil.

Texto atualizado às 13h30

(Com Solange Spigliatti, do estadão.com.br)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.