Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Paraná deve receber prêmio por colher mais cedo

O produtor de soja do Paraná, segundo maior Estado produtor do país, deverá se beneficiar de preços melhores, porque a colheita do Estado deve chegar mais cedo ao mercado este ano, avaliaram analistas do setor nesta quarta-feira.

FABÍOLA GOMES, REUTERS

29 de dezembro de 2010 | 18h33

Com condições climáticas mais favoráveis, os produtores paranaenses realizaram o plantio mais cedo que de costume, concentrando a semeadura em outubro.

O resultado é que esta safra chegará mais cedo ao mercado, entre o final de janeiro e início de fevereiro, e poderá ser negociada a preços mais firmes, por conta da demanda de curto prazo no período, antes do pico da colheita, explica o analista de mercado da Agrosecurity, Felipe Prince.

O analista ressalta que, tradicionalmente, os produtores que conseguem negociar a soja com melhores prêmios estão no Mato Grosso, maior produtor da oleaginosa no país. Os municípios do oeste e norte, Sorriso, Sapezal e Lucas do Rio Verde, normalmente, começam a colheita e janeiro e conseguem preços mais altos.

O analista observa que o setor trabalha com a perspectiva positiva, de que os preços em Chicago se mantenham na faixa de 13 a 14 dólares. "Mas pode até subir dependendo de como se consolidar a atual safra argentina, afetada pela seca", ressalta.

Prince observa que as tradings acompanham de perto as condições climáticas para o Sul do país por causa da ocorrência do fenômeno climático La Niña.

Relatório da Somar Meteorologia indica que as chuvas devem se normalizar nos Estados do Centro-Oeste e Sudeste do país, mas o tempo mais seco prevalecerá até o início de 2011.

A meteorologista da Somar Cassia Beu pondera que o clima mais seco deve se concentrar na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai. Para Mato Grosso e Goiás, dois importantes produtores do Centro-Oeste, as chuvas irregulares em outubro e novembro devem ter melhor distribuição pelas áreas produtoras até a primeira quinzena de janeiro.

O agrônomo Otmar Hubner, do Departamento de Economia Rural (Deral), órgão da Secretaria de Agricultura, observa que 50 por cento das lavouras do Paraná já passaram da fase de floração e começam a formar grãos. "É mais um estágio mais crítico e precisa acompanhar o clima", afirma.

Hubner destaca que o produtor da região já trabalha com um cenário bem mais favorável do que no ano passado. Levantamento do Deral nas principais praças de referência no Estado indica que o preço médio da saca estava em 39,81 reais no Paraná em dezembro de 2009. Neste mês, o valor médio está em 43,87 reais por saca e nesta quarta-feira oscila próximo de 46 reais a saca.

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSSOJAMERCADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.