Paraná e São Paulo lideram pesquisa de gasolina adulterada

São Paulo é o segundo Estado com maior índice de adulteração de gasolina do País, atrás apenas do Paraná. Segundo o Boletim de Qualidade da Agência Nacional do Petróleo (ANP), 13% das amostras pesquisadas em postos paulistas estavam fora das especificações. A pesquisa levanta, pela primeira vez, o índice de adulteração por distribuidora. Dentre as grandes, apenas Agip e Repsol/YPF estão com índices acima da média. A TA Distribuidora foi a que teve o maior índice de gasolina fora das especificações, de quase 30%. No caso do diesel, todas as grandes distribuidoras, incluindo a BR, registraram índices acima da média. Neste combustível, os principais problemas, segundo o relatório da Agência, referem-se à falhas no armazenamento e no uso de diesel com maior teor de enxofre, chamado de diesel interior, nas regiões metropolitanas - onde deve-se usar um produto menos poluente.

Agencia Estado,

03 Julho 2003 | 18h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.