bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Paranaguá lança projeto para evitar filas de caminhões

As filas de caminhões com soja que se estendem na estrada entre Curitiba e o Porto de Paranaguá, na época de escoamento da safra, podem estar próximas de uma solução. A Secretaria de Transportes do Paraná e a Administração Portuária de Paranaguá e Antonina (APPA) estão implantando este ano um sistema na Internet com o objetivo de facilitar o planejamento das remessas de cargas pela BR-277.Em abril do ano passado, a fila superou 100 quilômetros e praticamente "uniu" as duas cidades. De acordo com Cilos Vargas, coordenador da Operação Safra da Secretaria de Transportes paranaense, o Carga On Line já está em teste e deve operar normalmente a partir de abril. No mesmo mês, ele será lançado oficialmente durante a feira de logística Intermodal, em São Paulo.Para utilizar o sistema, os operadores devem fazer um cadastramento. Vargas informou que o sistema permite o acompanhamento do caminhão desde o ponto de embarque da carga até a descarga nos terminais do porto. De acordo com o projeto, o embarcador programará, via Internet, uma data aproximada para a chegada do caminhão ao terminal ao qual se destina.MetasA expectativa é de que, entre abril e maio, 30% da carga seja operada com auxílio do Carga On Line, de acordo com Vargas. "Até o final da safra, em junho ou julho, esperamos ver 60% da carga do porto movimentada pelo sistema", disse.O projeto viabiliza o cadastro da carga na origem, com a emissão de um código de barras contendo todas as especificações (dados da nota fiscal e do caminhão). Uma vez afixado no pára-brisas, o código de barras poderá ser lido na praça de pedágio de forma automática, durante a passagem do veículo, ou num ponto de parada preestabelecido."Quando o código for lido, o sistema vai informar se o caminhoneiro deve aguardar na fila, se deve seguir direto ao pátio de triagem do porto ou mesmo diretamente para o terminal que o aguarda, de posse de uma senha obtida no próprio ponto de apoio", explicou Vargas. Segundo ele, se o terminal operar em boas condições de logística, os caminhões não precisam ficar na fila.Movimento "normal"A assessoria de imprensa do Porto de Paranaguá informou que, nesta segunda-feira, dia 18, havia uma linha de caminhões de cerca de quatro quilômetros na via de acesso ao porto, o que não é considerado fila. O movimento normal, segundo a assessoria, é de até 10 km. No ano passado, com a safra recorde, a fila superou 100 km.Paranaguá, que completou 67 anos no último domingo, é o principal porto de grãos do País. No ano passado, o complexo de Paranaguá e Antonina movimentou 28,8 milhões de toneladas, 35% a mais do que no ano anterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.