Parcela de resgate de Portugal está a caminho--credores

Os credores de Portugal da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI) deram ao país sinal verde nesta segunda-feira para a próxima parcela de seus fundos de resgate, mas alertou sobre riscos significativos domésticos e externos para o país endividado e assolado por uma recessão.

Reuters

19 de novembro de 2012 | 20h42

"O programa está amplamente nos trilhos, apesar de fortes correntes contrárias", afirmaram, em comunicado conjunto, a Comissão Europeia (órgão executivo da UE), o Banco Central Europeu (BCE) e o FMI.

"Desemprego crescente, rendimentos menores e a incerteza estão pesando na confiança, enquanto a recessão na zona do euro está começando a impactar na dinâmica das exportações", completou o comunicado.

"Enquanto os riscos de queda são significativos, as linhas do programa econômico são apropriadas", acrescentou.

O comissário da UE para Assuntos Econômicos e Monetários, Olli Rehn, também afirmou que "a confiança nas perspectivas de Portugal continua a crescer, tanto entre seus parceiros institucionais como entre os participantes do mercado".

"Isso é um bom prenúncio de um retorno integral de Portugal ao financiamento nos mercados", acrescentou.

(Reportagem de Andrei Khalip)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROUEPORTUGAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.