Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Parcelamento no cartão passa compras à vista pela 1ª vez

Levantamento mostra que de janeiro a setembro as compras parceladas responderam por faturamento de 50,5%

Silvia Fregoni, da Agência Estado,

26 de setembro de 2007 | 20h50

O volume de compras parceladas no cartão de crédito passou o montante de transações realizadas à vista com o plástico pela primeira vez na história do mercado. A conclusão faz parte do estudo "Pagamentos parcelados: acesso ao crédito sem juros", parte da pesquisa Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento, realizada pela Itaucard. Segundo o levantamento, no acumulado de janeiro a setembro deste ano, as compras parceladas responderam por faturamento de R$ 64,9 bilhões, ou 50,5% do volume total. Desse número, o parcelamento sem juros responde pela maior parte, 49,1%, e o parcelamento com juros participa com apenas 1,4%. Até dezembro, a projeção é que as compras parceladas no cartão somem R$ 93,6 bilhões, um avanço de 23,4% em relação a 2006. As compras à vista também crescerão, devendo atingir R$ 87,9 bilhões. "Confirmada a estimativa, este será o primeiro ano na história do mercado de cartões que o parcelamento sem juros superará o pagamento à vista", diz Fernando Chacon, diretor de Marketing de Cartões do Itaú. Do total de portadores de cartões de crédito no País, 65% utilizam o parcelamento nas compras. Para Chacon, essa mudança de comportamento decorre da forte disseminação do parcelamento entre clientes e lojistas e, especialmente, pelo fato do cartão ter se tornado um facilitador do acesso ao crédito, notadamente para as classes de renda mais baixa. Nos nove primeiros meses do ano, 55% das compras realizadas pela baixa renda foram parceladas, com um tíquete médio de R$ 181. Na alta renda, que utiliza o parcelamento de pagamento em 42% das compras, o tíquete médio é de R$ 336. Segundo entrevistas realizadas com portadores de cartões, a maior parte prefere parcelar as compras em até 3 vezes. Já em relação ao valor para as compras parceladas, 29% dos entrevistados disseram que o parcelamento é mais utilizado para compras entre R$ 100 e R$ 200. De janeiro a setembro de 2007, a participação do parcelamento no cartão em compras de eletrônicos, construção e móveis foi de 86%. No segmento de vestuário, lojas de departamento e calçados, o percentual também é expressivo e chega a 82%. As compras parceladas em drogarias, farmácias e ópticas aparecem na seqüência, respondendo por 73% do total. O estudo mostra que o Norte e o Nordeste do País apresentam maior concentração das compras parceladas nos cartões de crédito. Na região Norte, elas respondem por 65% do faturamento com cartões de crédito, e o tíquete médio nesta modalidade chega a R$ 229. No Nordeste, as compras parceladas representam 62% do faturamento na região, e o tíquete médio é de R$ 189. Em termos de compra média, as regiões Centro-Oeste e Sul respondem pelo maior valor transacionado em compras parceladas, R$ 278 e R$ 258 respectivamente. Em todos os casos, a modalidade parcelamento sem juros predomina.

Tudo o que sabemos sobre:
Parcelamentocartão de crédito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.