Parceria entre Boa Vista e Google Cloud movimenta segmento de análise de crédito
Conteúdo Patrocinado

Parceria entre Boa Vista e Google Cloud movimenta segmento de análise de crédito

Empresa vai migrar banco de dados para a plataforma do Google; investimento na tecnologia cria oportunidades de soluções mais rápidas e customizadas

Google Cloud, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

17 de fevereiro de 2020 | 13h11

As perspectivas de crescimento da nuvem para 2020 são promissoras e devem impactar, sobretudo, o setor financeiro. No Brasil, o segmento é um dos três que mais investem em computação em nuvem, junto de indústria e educação, segundo pesquisa da consultoria Gartner divulgada no ano passado.

Uma das maiores empresas brasileiras de informações de crédito, a Boa Vista SCPC fechou parceria com o Google Cloud para modernização de sua infraestrutura, que vai migrar de servidores para a nuvem. Faz parte do acordo também o desenvolvimento de soluções, como novos aplicativos e produtos para o segmento financeiro.

O tema pautou o bate-papo com o diretor de estratégia e crescimento do Google Cloud para América Latina, João Bolonha, e o vice-presidente de negócios da Boa Vista SCPC, Lucas Guedes, que aconteceu no dia 11 de fevereiro, com transmissão ao vivo pelo Facebook do Estadão.

 


Anunciada no fim do ano passado, a parceria entre Google Cloud e Boa Vista SCPC irá permitir que milhares de informações do setor de crédito sejam armazenadas com segurança e processadas de forma mais eficiente. Tudo isso porque estão na nuvem.

“A nuvem elimina vários problemas que temos ao processar a enorme quantidade de dados com a qual trabalhamos. Com a Cloud, eu posso receber, trabalhar esses dados e criar soluções, como algoritmos que nos permitem ajudar a relação entre quem procura crédito e quem oferece crédito”, explica o vice-presidente de negócios da Boa Vista SCPC, Lucas Guedes. “Além disso, processos que levavam horas, agora estão levando minutos com o poderio de processamento computacional da plataforma”, acrescenta Guedes.

Segurança e flexibilidade

A plataforma do Google Cloud oferece a possibilidade de migrar toda a estrutura e banco de dados para a nuvem, o que permite uma escala de armazenamento segura e flexível, isto é, o cliente pode escolher o “tamanho” de nuvem que precisa utilizar.

A análise de banco de dados, outra ferramenta disponível na plataforma, também cumpre um papel estratégico na tomada de decisões. O usuário pode descobrir facilmente insights para sua empresa com os produtos de análise de dados gerenciados pelo Google Cloud.

A escolha pelo Google Cloud como parceiro pela Boa Vista levou em conta também a segurança de dados. Hoje, o Google Cloud oferece nove camadas de segurança criptografadas, que garantem a preservação de dados confidenciais, traço comum quando se trata de informações do sistema financeiro.

Vantagens para o segmento de crédito

A adoção da computação em nuvem pelas empresas do setor financeiro gera reflexos em todo o mercado. Para ter uma ideia do tamanho dessa transformação, no caso da parceria entre Google Cloud e Boa Vista SCPC, esse impacto incide, por exemplo, no Cadastro Positivo, de quem a Boa Vista SCPC é uma das gestoras responsáveis.

Cerca de 130 instituições financeiras já estão compartilhando os dados de seus clientes com a Boa Vista. “A nuvem nos ajuda a gerir todos esses dados e transformá-los em decisão para nossos clientes”, aponta Lucas Guedes. “Pensando no público final - o consumidor -, cada vez que desenvolvemos algoritmos melhores, o credor consegue tomar decisões melhores e, inclusive, oferecer crédito a uma taxa mais atrativa”, acrescenta o executivo da Boa Vista.

No futuro, a nuvem deve continuar a gerar mudanças nesse mercado. Segundo Bolonha, há quatro grandes tipos de usos provocados pela aplicação da nuvem no sistema financeiro: fornecimento de novas soluções e produtos, redução de custos e otimização de processos internos, diminuição de intermediários para chegar até o cliente, e geração de modelos colaborativos de trabalho. “O propósito da nuvem é muito amplo”, conclui. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Googleinteligência artificial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.