Parceria na TV digital é exceção

Tecnologia adotada no Brasil se baseia em padrão japonês

Renato Cruz, O Estadao de S.Paulo

14 de janeiro de 2008 | 00h00

A TV digital que estreou em dezembro na Grande São Paulo é resultado de uma parceria entre o Brasil e o Japão. O sistema brasileiro é uma evolução do sistema japonês, com um padrão mais avançado de compressão de vídeo e um software de interatividade criado por pesquisadores do Brasil. "É um padrão nissei", brinca Virgílio Amaral, diretor de Tecnologia da TVA.Em 2000, a Universidade Mackenzie comparou o padrão japonês com o americano e o europeu. A tecnologia do Japão teve a melhor performance, e foi escolhida como base do sistema brasileiro. É o padrão mais bem preparado para a mobilidade, com recepção em celulares.O lançamento da TV digital aproxima o Brasil do Japão no setor de tecnologia, e abre espaço para a cooperação tecnológica e o intercâmbio comercial."Existe um estímulo de ambos os governos para alianças", afirmou Yasutoshi Miyoshi, presidente da Primotech21, que representa fabricantes japoneses de componentes eletrônicos no País. Vários técnicos japoneses, de empresas como NEC e Toshiba, vieram ao Brasil para auxiliar no lançamento da TV digital.Em abril de 2006, um grupo de representantes do governo brasileiro visitou Tóquio para negociar um acordo de TV digital com o Japão. Participaram os ministros Celso Amorim (Relações Exteriores), Hélio Costa (Comunicações) e Luiz Fernando Furlan (então à frente do Desenvolvimento). Em junho do mesmo ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou um decreto que oficializou a escolha. O ministro japonês do Interior e das Comunicações, Heizo Takenaka, participou da cerimônia em Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.