Andre Dusek|Estadão
Andre Dusek|Estadão

Parente descarta interferência política na decisão sobre redução dos preços

Presidente da Petrobrás disse que motivações para a revisão dos preços dos combustíveis foram empresariais

Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2016 | 10h48

RIO - As motivações para a revisão dos preços dos combustíveis foram empresariais, reforçou o presidente da estatal, Pedro Parente, que afastou qualquer interferência política na decisão. Ele disse ter informado ao presidente da República, Michel Temer, que uma política de preços estava sendo elaborada, mas que não foi indicado ao governo se os preços deveriam cair ou aumentar e em quanto.

A expectativa é que a divulgação de um relatório a cada 60 dias com avaliações da política de preços vai ajudar a tornar o processo transparente ao mercado. Os preços serão avaliados mensalmente por um comitê, batizado de Grupo Executivo de Mercado e Preços.

"Não entendo que possa ser visto que tenha outro objetivo (a queda dos preços anunciada hoje) que não os interesses da empresa. A confiança (do mercado) virá com a prática consistente, ao longo do tempo", afirmou o presidente da estatal.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Pedro ParenteMichel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.