Paris critica Mandelson por flexibilidade em Doha

A ministra do Comércio Exterior da França, Christine Lagarde, criticou o comissário de Comércio europeu, Peter Mandelson, por ter mostrado flexibilidade na proposta da União Européia durante as negociações da Organização Mundial do Comércio (OMC) em Genebra. Segundo a titular francesa, com isso, a Europa não ganhará nada."A tática do comissário é sempre a mesma: avançar ao descoberto sendo o único no campo. Isso não traz nada à Europa", afirmou, em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo Les Echos. A ministra insistiu que "quando se começam a mostrar as cartas, é difícil dar marcha à ré", em referência às novas margens sugeridas por Mandelson nas negociações da OMC na semana passada."Estamos preocupados sobre o fundo das propostas e não estamos satisfeitos com a forma", afirmou Christine, cujo governo advertiu que a iniciativa para reduzir as tarifas aos produtos agrícolas está no limite do admissível.Atitude desesperadora Christine também considera "desesperadora" a atitude do ministro das Relações Exteriores brasileiro, Celso Amorim, reticente a oferecer reduções às taxas alfandegárias dos produtos industriais em compensação pelas quais a União Européia propõe na agricultura."Os níveis contemplados de redução das tarifas não nos oferecerão nada como acesso suplementar" aos mercados em desenvolvimento, afirmou a ministra

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.