Issei Kato/Reuters
Issei Kato/Reuters

Paris processa Airbnb e pede US$ 14 milhões por anúncios ilegais

França é o segundo maior mercado para o Airbnb depois dos Estados Unidos

Reuters

10 de fevereiro de 2019 | 20h20

A cidade de Paris está processando o Airbnb pela publicação de mais de mil anúncios ilegais, o que pode custar ao site de aluguéis temporários americano cerca de US$ 14 milhões, disse o prefeito de Paris em uma entrevista a um jornal local este domingo.

De acordo com a lei francesa, proprietários podem alugar seus imóveis em plataformas online como o Airbnb por até 120 dias em um ano. Os anúncios precisam ter um número de registro para garantir que os aluguéis não sejam por períodos maiores.

Em 2018, a França aprovou uma legislação em que empresas como a Airbnb podem ser multadas em € 12,5 mil para cada anúncio ilegal, o que permitiu a prefeitura a levar à Justiça o website, disse a prefeita Anne Hidalgo ao jornal Journal du Dimanche.

“A intenção é acabar com os aluguéis não autorizados que estragam alguns bairros de Paris”, disse.

Várias cidades no mundo já manifestaram preocupação de que plataformas como o Airbnb se transformem em concorrência desleal para hotéis e transforme alguns bairros em áreas exclusivamente dominadas por turistas.

Uma porta-voz do Airbnb afirmou que a empresa implementou medidas para auxiliar seus usuários parisienses cumprirem as novas europeias, mas acrescentou que as normas de Paris são “ineficientes, desproporcionais e em contradição com as normas europeias”.

A França é o segundo maior mercado para o Airbnb depois dos Estados Unidos. Paris, uma das cidades mais visitadas no mundo, e o seu maior mercado individual, com cerca de 65 mil casas listadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.