finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Parlamento do Reino Unido deve barrar referendo sobre permanência na UE

Votação pode criar um racha no Partido Conservador e prejudicar as relações com o Liberal-Democratas 

Álvaro Campos, da Agência Estado,

24 de outubro de 2011 | 11h41

LONDRES - O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, enfrentará nesta segunda-feira, 24, o maior desafio da sua administração, quando o Parlamento deve votar a realização de um referendo sobre a permanência do país na União Europeia. O debate começa por volta das 12h e a votação deve ocorrer às 19h.

Cerca de 70 legisladores do Partido Conservador de Cameron provavelmente vão desafiar as ordens do premiê e votar a favor da realização do referendo. Apesar disso, esses rebeldes não devem ganhar, já que a ampla maioria dos 650 parlamentares deve se posicionar contra a consulta pública. Mas a revolta destaca dúvidas sobre o comprometimento do Reino Unido com a UE.

A votação pode criar um racha no Partido Conservador e prejudicar as relações com o Liberal-Democratas, partido pró UE que faz parte da coalizão de governo. O partido de Cameron já informou que pode aplicar sanções contra quem desobedecer as orientações, incluindo a expulsão da legenda.

O secretário de Relações Exteriores britânico, William Hague, disse hoje que as rígidas regras para votação estabelecidas pelo Partido Conservador são necessárias porque a moção vai contra a política do governo. "Essa proposição é uma questão errada no momento errado. Não está no manifesto de nenhum dos partidos do governo, desrespeita as regras para a realização de referendos que nós combinamos e criaria mais incertezas econômicas nesse país", comentou.

O conflito sobre o referendo acontece no momento em que aumentam as tensões entre Cameron e o presidente da França, Nicolas Sarkozy, que teria dito inclusive que está "cansado" dos conselhos do colega britânico sobre a crise na zona do euro. Hoje, um porta-voz de Cameron disse que houve "visões diferentes na mesa de negociações" na reunião de cúpula da UE ontem, sobre a realização de um novo encontro na quarta-feira. As informações são da Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.