Parlamento Europeu vota esboço de novas regras para agências de rating

Objetivo é reduzir a dependência dos investidores aos ratings e restringir os conflitos de interesse

Patrícia Braga, da Agência Estado,

19 de junho de 2012 | 15h02

BRUXELAS - O Parlamento Europeu votou nesta terça-feira, 19, o esboço de lei para aperto das regras para as agências de classificação de risco que estão sob pesadas críticas de várias autoridades europeias por suas avaliações e ação na região durante a crise financeira.

As novas regras, aprovadas pelo Comitê Econômico e Monetário visam a regulamentação dos ratings soberanos, reduzir a dependência dos investidores aos ratings e restringir o escopo de conflitos de interesse.

O Conselho Europeu votou sua versão da legislação no mês passado e agora as duas instituições precisam entrar em acordo sobre as regras, e a Comissão Europeia pode dar a palavra final sobre a lei.

Essa é a terceira rodada de regulamentação que as agências de classificação de risco enfrentam na Europa desde 2008. As pressões para aumentar os controles sobre elas aumentaram significativamente nos últimos anos após essas empresas não terem conseguido reconhecer os riscos envolvidos com a securitização dos produtos de hipotecas de subprime nos EUA.

A função da classificação de risco de crédito cresceu e passou a ter um importante papel em como os investidores acessam a probabilidade de a empresa ou país pagar suas dívidas. Entretanto, a dependência que o sistema financeiro passou a ter das três maiores agências - Standard and Poor's, Moody's e Fitch - passou a ser criticada durante a crise com o argumento de que isso pode representar um risco maior para o sistema. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
EuropaCriseCrédito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.