Parmalat demite 60 em Jundiaí

A Parmalat demitiu 60 trabalhadores de sua unidade de Jundiaí, interior de São Paulo. O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias da Alimentação, Gerson Sartori, disse que sua esperança agora é de que "outra empresa compre as fábricas de Jundiaí", onde são produzidos sucos e bolachas. Segundo o presidente do Sindicato, Edílson Carvalho, as demissões ocorreram na seção de Vendas e no Centro de Logística. "O depósito da Parmalat está vazio. Não tem mais nada lá. Agora, o que é produzido vai direto para o supermercado", explicou. O sindicalista revela que alguns dos demitidos já até arrumaram emprego em empresas concorrentes, mas o que os trabalhadores não querem é que uma empresa concorrente compre a Parmalat. Segundo ele, desta forma a empresa compradora acabaria com os produtos Parmalat, para ?acabar com a marca".

Agencia Estado,

30 Março 2004 | 11h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.