Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Parmalat envia plano de saneamento ao governo italiano

O interventor apontado pelo governo na Parmalat, Enrico Bondi, apresentou hoje ao ministro da Indústria da Itália, Antônio Marzano, o plano de reestruturação com o qual pretende salvar a companhia. Ele pede a venda dos ativos que não integram o núcleo dos negócios da companhia, o que representaria uma queda no número de marcas do grupo de 120 para 30. As operações da companhia se concentrariam no mercado de suco de frutas, leite e derivados.Bondi já colocou à venda a fábrica de chocolate e parte dos negócios de turismo dirigidos pela família do fundador da Parmalat, Calisto Tanzi. Depois de passar pelo Ministério, o texto precisa da aprovação dos credores em um encontro marcado para novembro ou dezembro. Marzano insistiu que a companhia deve permanecer em mãos italianas.O escândalo da Parmalat se tornou público em dezembro de 2003 quando foi descoberto que a companhia não possuía os US$ 5 bilhões que alegava ter em uma conta num banco. Em seguida, a empresa anunciou o pedido de concordata e uma auditoria estimou a dívida da companhia em US$ 18 bilhões.

Agencia Estado,

21 de junho de 2004 | 19h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.