Parte da Opep pode aumentar produção de petróleo

Preço subiu quase US$ 11 o barril no dia 6 de junho. Países ligados à Organização se reunem neste domingo

BARBARA LEWIS E ALEX LAWLER, REUTERS

21 de junho de 2008 | 13h06

A Arábia Saudita e outrosprodutores de petróleo podem concordar em aumentar a produçãoem um encontro emergencial das potências de energia neste fimde semana, mas as nações da Opep dizem que a especulação, e nãoo abastecimento, está por trás dos altos preços do produto. Riad conclamou produtores, consumidores e presidentes degrandes empresas petrolíferas para um encontro no domingo apóso petróleo ter subido quase 11 dólares o barril no dia 6 dejunho, alta diária recorde. O preço do produto mais do que duplicou em um ano e chegoua quase 140 dólares o barril, causando protestos de Bruxelas aBangcoc sobre os custos recordes que ameaçam a economiamundial. A Arábia Saudita disse que irá aumentar sua produção a 9,7milhões de barris por dia em julho. O país, que é o maior exportador de petróleo do mundo,disse que outros membros da Organização dos Países Exportadoresde Petróleo que também podem aumentar rapidamente a produçãodiscutirão essa possiibilidade, em um esforço para frear a altado petróleo. "As políticas de curto prazo a serem discutidas incluem aproposta de que os países da Opep que têm capacidade extradevem aumentar a produção, assim como a Arábia Saudita anunciouque fará em julho", afirmou à Reuters uma importante autoridadedo bloco de países exportadores de petróleo. Olhando para o longo prazo, a fonte afirmou que a ArábiaSaudita avaliará a possibilidade de aumentar sua capacidadepara além da meta de 12,5 milhões de barris por dia até o finaldo ano. Os outros dois países da Opep com capacidade extra são osEmirados Árabes Unidos e o Kuweit. Outro delegado do grupoafirmou que ainda não estava claro se essas nações aumentariama sua produção. O ministro do Petróleo do Kuweit, Mohammad al-Olaim, disseà Reuters que não tinha planos de aumentar a produção antes dasnegociações, mas que consideraria essa opção após o encontro. Enquanto as nações consumidoras afirmam que o aumento deprodução da Opep ajudará a acalmar os mercados, os países dogrupo repetidamente culpam fatores como a especulação, o dólarenfraquecido e a instabilidade política pelo aumento nospreços. "Qualquer coisa que aumente a oferta para o mercado éimportante", afirmou o secretário de Energia dos EstadosUnidos, Sam Bodman, em Jedá. "Enquanto aumentos na produção de petróleo a curto prazosão bem-vindos e necessários, o mercado precisafundamentalmente ver investimentos para aumentar a capacidadede produção a longo prazo." Mas a maior autoridade de petróleo da Líbia, Shokri Ghanem,afirmou que o mercado tinha mais petróleo do que o suficiente."Há uma superabundância no mercado. Acreditamos que os preçosestão altos, mas não devido à oferta e à demanda," afirmou,acrescentando que não espera avanços concretos no encontro dedomingo. "Você não pode tomar qualquer decisão em assuntosimportantes no mercado de energia em um encontro de trêshoras", finalizou.

Tudo o que sabemos sobre:
PETROLEOOPEPENCONTRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.