Parte de funcionários da Vasp continua trabalhando

Muitos funcionários da Vasp que trabalham em terra (aeroviários) compareceram a seus postos hoje nos aeroportos de Guarulhos e Congonhas, em São Paulo, embora a empresa não possa mais oferecer passagens. Hoje, o site da empresa na Internet continua no ar e o telefone para reservas permanece em funcionamento. Empregados da empresa respondem às chamadas, mas informam que não há serviços disponíveis no momento. Hoje os aeronautas (pilotos e comissários) estão em greve. A empresa tem cerca de 3 mil empregados.A empresa não pode mais realizar vôo regulares de passageiros. Ontem à noite, o Departamento de Aviação Civil (DAC) cassou as últimas oito rotas da empresa, alegando falta de condições financeiras e operacionais. A Vasp ainda não perdeu a concessão de transporte aéreo, que vence em abril. A retirada da concessão cabe ao Ministério da Defesa. A principal alternativa da empresa é continuar a operar com vôos charter (fretamento) e com carga, mas para isso ela precisará pedir uma nova autorização ao DAC. O órgão também autuou a empresa porque ela estava cancelando todos os vôos com menos de 50% de ocupação.ComunicadoEm comunicado, a diretoria da Vasp reclama da decisão do Sindicato Nacional dos Aeronautas de conflagrar greve e conclama os aeronautas e aeroviários a permanecer em seus postos de trabalho. "A Direção da Vasp continuará a buscar, por todos os meios possíveis, a obtenção de soluções para que a companhia possa recuperar-se", diz o comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.