Participação de fundos DI na indústria cai a metade desde 2001

Atualmente, a participação é de 12,96% no total da indústria, que tem patrimônio líquido de R$ 1,477 trilhão

Rita Tavares, da Agência Estado,

18 de dezembro de 2009 | 13h51

Neste ano até o último dia 15, os fundos referenciados DI tiveram captação negativa de R$ 5,5 bilhões - um recuo de 3,08% no acumulado do ano, segundo dados do site financeiro Fortuna (www.fortuna.com.br). É o pior desempenho entre as categorias de fundos. A totalidade desses recursos saiu de fundos voltados para o varejo que encolheram exatamente R$ 5,5 bilhões para um patrimônio líquido de R$ 86 bilhões. No total da categoria, os fundos DI tinham um patrimôno líquido de R$ 191,4 bilhões, no dia 15.

 

Atualmente, a participação dos fundos DI é de 12,96% no total da indústria de fundos de investimentos que tem patrimônio líquido de R$ 1,477 trilhão, segundo dados do site Fortuna. No começo dessa década, em 2001, essa participação era de 28%, quando o patrimônio líquido dos fundos DI era de R$ 96,843 bilhões para uma indústria de R$ 343,109 bilhões. Naquele ano, o retorno do CDI foi de 17,29%, sendo que deve terminar este ano em cerca de 10%.

 

"A queda da taxa de juros e a cobrança de taxas de administração altas explicam a perda de atratividade e consequente encolhimento dos fundos DI", explica o diretor do site Fortuna, Marcelo D'Agosto.

 

Desde 2006, essa categoria tem captação negativa no acumulado do ano. No final de 2008, os fundos DI registraram saídas de R$ 2,779 bilhões. No ano anterior, o de pior desempenho, a saída foi de R$ 14,723 bilhões, enquanto a captação foi negativa em R$ 6,629 bilhões em 2006. No mesmo período, houve o crescimento de outras opções de fundos, como os multimercados e os de ações.

 

Neste ano até o dia 15, com exceção de abril, os fundos DI como um todo tiveram captação líquida negativa em todos os meses, com pior resultado em junho com perdas de R$ 2,741 bilhões. A partir de agosto, começou a recuperação que se manteve constante, com melhor mês em setembro, com captação positiva de R$ 1,845 bilhão. Em novembro, os depósitos superaram os saques em R$ 462 milhões. Neste mês de dezembro até o último dia 15, a captação negativa é de R$ 152,382 bilhões, com perda de 0,08%.

 

Retorno encolhe

 

A saída dos dos investidores de varejo é explicada pela baixa rentabilidade dos fundos DI. Até o último dia 15, o retorno médio desse grupo de fundos foi de 7,99%, enquanto o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), principal referência da categoria, acumulou 9,48%. De acordo com o diretor do Fortuna, 95% dos fundos de varejo apresentaram retorno inferior ao do CDI. Além da queda dos juros básicos, o desempenho foi achatado por taxas de administração altas.

 

No varejo, a taxa mediana é de 1,5% ao ano. A categoria dos fundos DI teve retorno médio de 9,79% até o último dia 15, segundo o site Fortuna - acima, portanto, do retorno do CDI, de 9,48%. Para asseguar esse desempenho, foi decisiva a cobrança de uma taxa de administração mediana de 0,40% ao ano.

Tudo o que sabemos sobre:
fundosDIFortuna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.