Participação do pré-pago cresce 428% no País

O celular pré-pago, também chamado sem-conta, já responde por 48,34% dos 17,8 milhões de aparelhos que havia em todo o Brasil em maio, segundo dados da Anatel. O pós-pago, com assinatura mensal, tem os outros 51,66%. Há um ano, o serviço com conta representava 90,8% do mercado. A fatia do pré-pago cresceu 428% nesse período.O aparelho pré-pago foi uma solução rápida para as empresas ampliarem a base de clientes. Mas a receita mensal é inferior à do pós-pago porque tem sido usado apenas para receber chamadas. Diante disso, as operadoras têm revisado sua estratégia de atuação, diminuindo o subsídio nos aparelhos celulares. A empresa aumenta sua margem de ganho, pois repassa o custo total do produto. E quem perde é o consumidor. Veja mais indormações no link abaixo. São Paulo tem disputa acirrada de mercado A concorrência também deu retorno para as operadoras da banda B. As empresas aumentaram sua participação em todo o Brasil de 23,9% em maio de 1999 para 30,6% no mês passado. O mercado mais competitivo é o da região metropolitana de São Paulo. A BCP, operadora da banda B, detém 41,98% dos usuários, e a Telesp Celular, da banda A, 58,02%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.