Pablo Valadares/Camara dos Deputados
Pablo Valadares/Camara dos Deputados

Partidos tentam acordo na CCJ para votar reforma nesta quarta-feira

Oposição pede a retirada de alguns trechos do texto já na Comissão de Constituição e Justiça, mas o Centrão resiste em aceitar mudanças fora da comissão especial

Camila Turtelli e Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2019 | 16h17
Atualizado 16 de abril de 2019 | 17h52

BRASÍLIA - Partidos de centro e da oposição estão tentando costurar um acordo para que a admissibilidade da reforma da Previdência seja votada ainda nesta semana. Para que a votação seja consenso, a oposição pede a retirada de alguns trechos do texto já na Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ), mas o Centrão resiste.

Segundo o deputado do PT, José Guimarães (CE), a oposição pede a supressão de partes como a desconstitucionalização da Previdência, BPC, aposentadoria rural e capitalização. Outros pontos considerados 'jabuti' também estão sendo avaliados. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), esteve reunido na tarde desta terça-feira, 16, com líderes do Centrão e oposição para discutir a possibilidade de votar a Previdência nesta semana, mas não houve acordo.

O líder do PP, Arthur Lira (AL), disse que os partidos do centro ainda resistem em aceitar mudanças fora da comissão especial, que é o colegiado que irá tratar do mérito da proposta. Desta forma, por enquanto, está mantido o acordo firmado ontem em que os discursos na CCJ vão ser mantidos até às 22h. Amanhã, segue a sessão e, se houver tempo hábil, a proposta será votada. 

A vice-presidente da CCJ, Bia Kicis (PSL-DF), disse que o ideal é que as mudanças aconteçam na comissão especial, mas que um acordo para votar a proposta, sem mudanças drásticas, é melhor do que não votar. 

A deputada Talíria Petrone (PSOl-RJ) disse que seu partido não está disposto a firmar qualquer acordo já que é contra a proposta.

Otimismo

O presidente da CCJ da Câmara, Felipe Francischini (PSL-PR), afirmou acreditar na possibilidade da votação da proposta da reforma da Previdência acontecer ainda nesta quarta-feira, 17. "Vou tentar agilizar o máximo possível, a minha parte eu estou fazendo", disse. "Estou fazendo uma contagem de votos aqui na comissão e estou bem otimista", disse.

Sobre a possibilidade de mudanças de mérito na CCJ, Francischini disse que isso depende do encaminhamento que for dado ao final do debate. "Questões de alteração eu acho que estão sendo tratadas com o relator (Marcelo Freitas)", disse.

O deputado do PSL disse ainda que já conseguiu "economizar" mais de 8 horas de debate com a operação que ele fez nesta terça-feira de pedir para que parlamentares favoráveis à reforma reduzissem seus discursos ou retirassem a fala.

AO VIVO

Acompanhe em tempo real a discussão na CCJ da Câmara sobre a proposta de reforma da Previdência nesta terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.