Páscoa: aposta é no público infantil

Os bons ventos na economia prometem aquecer o mercado de chocolate até o dia 15 de abril, quando é comemorada a Páscoa. Os fabricantes de ovos de Páscoa esperam faturar R$ 360 milhões neste ano com a venda de 18 mil toneladas de produtos, o que significa um crescimento de 6% em relação ao ano passado. A aposta dos fabricantes é no público infantil.As principais redes de supermercados já começaram a decorar as suas lojas. Até o fim da semana, o consumidor vai poder passear entre os corredores de chocolate que são montados nas lojas nessa época do ano. Mas é sempre bom lembrar que vale a pena pechinchar. Os preços chegam a ser alterados semanalmente e há diferença no preço praticado pelas lojas.Consumidores mirinsPara conquistar o principal público do produto, as crianças, os fabricantes planejaram novidades: ovos com bombons que já são sucesso de vendas para os pequenos, que vêm com brinquedos e até mesmo os ovos "temáticos", ou seja, aqueles que têm nome ou características semelhantes a personagens de desenhos animados (como Digimon, da Lacta) ou ídolos infanto-juvenis (Sandy e Júnior, da Visconti).A Nestlé, segunda colocada nas vendas dos produtos, assegura que 10% do total de vendas da empresas durante o ano acontece na época da Páscoa e espera um crescimento de 5% das suas vendas, motivados pelas vendas de seus tradicionais chocolates (o Alpino, por exemplo) e nos lançamentos Magic e Milkbar, que trazem brinquedos.A Kopenhagen, uma das mais famosas marcas de chocolates artesanais, lançou ovos de Páscoa com recheio de "chumbinhos" e de Nhá Benta, dois produtos vendidos às crianças em suas lojas. "É a primeira vez que fazemos produtos específicos para esse público", conta Márcia Camargo, diretora de vendas da empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.