"Passadas as eleições, a coisa vai acalmar", diz Ermírio

O empresário Antonio Ermírio de Moraes disse que não considera grave o atual clima de intranqüilidade no cenário econômico brasileiro. Ele afirmou que o problema está relacionado com a questão política, que deverá ter uma definição nos próximos meses. "Passadas as eleições, eu acho que a coisa vai acalmar", afirmou em entrevista no Passando a Limpo, da TV Record. "Eu acredito que o Brasil vai dar certo.""Rei nu"Antonio Ermírio voltou a afirmar que está nos Estados Unidos o maior risco de uma "débâcle" (ruína) da economia mundial, provocado pelas falhas nos balanços de algumas de suas grandes empresas. "Imagine se amanhã a Europa começa a retirar todos os recursos e os Estados Unidos perdendo US$ 35 bilhões por mês na balança comercial", ponderou o empresário. O empresário destacou que os EUA necessitam de recursos do mundo inteiro para financiar o próprio déficit comercial. "Se começar a haver uma evasão de dólares, os Estados Unidos vão ficar numa posição difícil."EspeculaçãoO presidente do Grupo Votorantim também criticou a atuação das empresas de avaliação de risco. Ele considera "muito perigosa" a atuação das empresas de rating que, ele sugere, poderiam estar por trás de um possível esquema de especulação com ações de empresas brasileiras. "Com um risco Brasil muito elevado, os preços das ações caem. Quem sabe não tem alguém lá fora interessado em comprar as ações para ganhar rios de dinheiro?", indagou o empresário.

Agencia Estado,

08 de julho de 2002 | 07h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.