Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Passadas as medidas do ajuste fiscal, País voltará a crescer 'rapidamente', diz Levy

Ministro afirma que câmbio valorizado traz novas oportunidades para as empresas brasileiras, principalmente para o setor industrial

Lorenna Rodrigues, Eduardo Rodrigues, O Estado de S. Paulo

06 de outubro de 2015 | 22h30

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse nesta terça-feira que, passadas as medidas do ajuste fiscal, a economia brasileira voltará a crescer "rapidamente" e, vencida essa primeira etapa, os juros também começarão a cair "rapidamente". "Juntos vamos conseguir criar oportunidades para economia retomar seu fôlego e voltar a crescer rapidamente", afirmou, citando o papel do Congresso Nacional, que ainda terá que aprovar várias medidas.

Levy falou durante abertura do 27º Congresso Brasileiro de Radiodifusão e fez um discurso mais otimista do que o de costume. O ministro vem sendo cobrado por parlamentares e setores do governo a apresentar uma "luz no fim do túnel" da crise, e não falar apenas do ajuste fiscal necessário para isso. "No momento, parece escuro e difícil, mas capacidade de resposta da economia surpreende", completou.

Em seu discurso, Levy disse ainda que, quando o país estiver "engrenado", será possível adotar mudanças estruturais para garantir que o crescimento contínuo da economia. "Vale a pena o esforço para passarmos por essa transição". O ministro afirmou que o objetivo de crescer é parte fundamental de todas as ações de política econômica, que exigem sacrifícios. "É muito importante nesse contexto que as nossas contas públicas estejam em ordem é um elemento fundamental para trazer tranquilidade para pessoas desenvolverem seus planos e seus sonhos", afirmou.

Levy lembrou que outros ajuste fiscais foram feitos, como no início do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003, e que a economia brasileira sempre respondeu rapidamente. "Tenho certeza que nesse momento também vamos ter o mesmo resultado que no passado". Ele ressaltou que a transição para o crescimento exige sacrifícios que, para ele, as pessoas estão dispostas a fazer. "A presidente está trabalhando para passar  as medidas necessárias", acrescentou.

Para Levy, algumas ações tomadas no começo do ano começam a ter resultado, como as exportações, que darão contribuição positiva para o crescimento neste ano. Ele lembrou que o câmbio valorizado traz novas oportunidades para as empresas brasileiras, principalmente para o setor industrial. "Ao produzir aqui o que antes era importado, estamos criando novas oportunidades de emprego", ressaltou.

Em sua fala, Levy disse ainda que a liberdade de expressão é um elemento central da sociedade brasileira. "Compartilho com as demais lideranças aqui presentes a firma convicção do ambiente democrático deve ser incentivado", acrescentou.

Mais conteúdo sobre:
levyajuste fiscal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.