Passageiros ainda sofrem com crise da Varig

O clima de indefinição continua a pairar sobre os passageiros da Varig nos principais aeroportos do País. Segundo apurou a reportagem da Rádio CBN, a companhia aérea continua cancelando vôos nesta segunda-feira. No Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, foram suspensos, entre outros, trajetos para Aruba, Miami, Buenos Aires e Assunção. De acordo com a Infraero, não há registros de tumultos entre os passageiros da empresa, que continuam enfrentando longas filas para as trocas dos bilhetes já adquiridos. Representantes da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estão no local orientando os passageiros.Já no Aeroporto de Congonhas, os vôos de ponte aérea partem de uma em uma hora, segundo a Infraero, e estão confirmadas as viagens para o Rio de Janeiro e Porto Alegre. No Aeroporto Tom Jobim, no Rio, 29 vôos já foram cancelados, entre partidas e chegadas. A assessoria da Varig não confirma os cancelamentos.No domingo, o presidente da companhia aérea, Marcelo Bottini, disse que a retomada das rotas suspensas dependerá do desfecho de negociações que são feitas com as arrendadoras. Essas empresas de leasing "alugam" aviões. Por conta da crise enfrentada pela companhia, esses pagamentos não foram honrados. Dessa forma, as aeronaves ficaram "encostadas", sob ameaça de arresto. Segundo Bottini, já nesta segunda deve haver uma reposta para a situação. Não foi informado quantas das 60 aeronaves da empresa continuam em operação. Até a última quinta-feira, quando, durante leilão, a VarigLog arrematou a companhia por US$ 500 milhões, eram 13 aviões em operação. Exatamente por conta disso, a nova controladora da Varig pediu à Anac que todas as rotas da empresa - exceto a ponte aérea Rio-São Paulo, fossem canceladas até o dia 28 de julho. Na sexta-feira, a agência rejeitou esse pedido. O presidente da Varig ressaltou que a companhia atenderá "dentro do possível" a determinação da Anac, que exigia a retomada imediata de 13 rotas suspensas desde o início do plano de contingência da empresa, no dia 21 de junho. No sábado, a companhia retomou alguns vôos domésticos e os internacionais com destino a Miami, Frankfurt e Londres. Demissões Nesta semana, a Varig deverá divulgar uma lista de demissões. A expectativa é que pelo menos 8 mil dos cerca de 10 mil funcionários sejam dispensados. A empresa também deverá anunciar a nova diretoria. A ex-presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) é cotada para o cargo.Este texto foi atualizado às 11h00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.