Passageiros enfrentam filas de espera para troca de bilhetes da Varig

Os passageiros que já estão com os bilhetes da empresa Varig estão enfrentando filas de espera para trocar a passagem nos aeroportos brasileiros na manhã desta sexta-feira. Hoje é o primeiro dia da suspensão temporária de 23 das 25 destinos operadas pela empresa.No aeroporto Internacional de Guarulhos, na grande São Paulo, os vôos internacionais da empresa estão chegando normalmente, segundo a Infraero e não há registros de tumultos entre os passageiros, que estão enfrentando longas filas para a troca das passagens. Apenas três vôos domésticos da empresa, para Foz do Iguaçu, Recife e Rio de Janeiro, estão confirmados para esta sexta-feira, 21. Segundo a Variglog, o número de vôos diários vai aumentar de dez para 36. Os demais vôos domésticos estarão suspensos temporariamente.No Aeroporto Antônio Carlos Tom Jobim, no Rio de Janeiro, os clientes da Varig também enfrentam filas para a troca de bilhetes com outras empresas aéreas. Até 11 horas de hoje, 14 vôos nacionais e 13 internacionais já foram cancelados.A nova direção da Varig anunciou ontem a suspenção temporária de 23 dos 25 destinos que vinha operando até esta semana. Com a decisão, a Varig pára de voar a partir desta sexta-feira para as 11 cidades que ainda servia no exterior e também para 12 das 14 cidades brasileiras nas quais atuava. Restarão apenas os vôos entre Rio e São Paulo, que estão sendo ampliados de dez para 36 diários.A nota da empresa diz que a ampliação da oferta na Ponte Aérea mostra "que os novos controladores querem voltar a oferecer mais opções de horários a seus passageiros" e que isso permitirá à empresa "rapidamente retomar seu crescimento e rentabilidade". Segundo a empresa, a partir do dia 28 as demais rotas, domésticas e internacionais, "serão retomadas gradativamente".LeilãoA Variglog arrematou ontem, após meses de indefinição, a Varig por US$ 500 milhões, em um leilão que apenas formalizou a proposta, uma vez que apenas esta companhia estava qualificada. O preço mínimo de US$ 24 milhões já foi cumprido pela empresa. Na verdade, US$ 20 milhões já haviam sido antecipados para que a companhia aérea continuasse operando até a data do leilão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.