Passageiros esperam até 30 horas; 162 trechos de vôos são cancelados

Os passageiros da Varig estão levando até 30 horas para chegar a destinos que não requerem mais do que duas ou três horas de viagem. Muitos deles precisam pernoitar em mais de um lugar à espera de realocação de suas conexões. E a situação está se agravando nesta quarta-feira: até as 11h30 chegava a 162 o número de trechos de vôos cancelados, segundo a Infraero. Até o meio-dia, 53 vôos inteiros haviam sido cancelados.Em alguns casos, o prejuízo do passageiro é duplo pois, além do atraso, é preciso arcar com despesas de alimentação e hospedagem. No Aeroporto Internacional de Guarulhos, os guichês da Varig continuavam vazios e as salas de espera, lotadas, por volta das 12h30. A sala vip havia sido desativada.Os 162 trechos cancelados desde a zero hora desta quarta-feira são partes de vôos nacionais e internacionais (são trechos entre uma conexão e outra). A Infraero informou que a Varig tinha previstos para todo o dia 863 trechos de vôos nacionais e internacionais.Dos 53 vôos completos (com todos os seus trechos), que foram cancelados até o meio-dia, 33 partiam do Rio de Janeiro. Entre os trajetos internacionais cancelados em todo o País, até as 10h40, os destinos finais eram Assunção; Buenos Aires; Montevidéu; e Santiago.Suspensão temporária Nesta quarta, a companhia aérea divulgou nota oficial foi "obrigada a implementar " uma adequação de sua malha de vôos, que inclui a suspensão temporária de algumas rotas nacionais e internacionais. A companhia esclarece que, entre os motivos está a negociação da companhia com empresas de leasing. Os trajetos temporariamente suspensos são para: Milão, Munique, Madri, Paris, Nova York, Miami, Los Angeles, Cidade do México, Montevidéu, Assunção e Bogotá. Estão mantidos os vôos para os seguintes destinos: Frankfurt (2 vôos diários) e Londres (um diário), na Europa; Miami (um diário), na América do Norte; Buenos Aires (4 diários), Lima (um diário), Santa Cruz de La Sierra (um diário), Santiago do Chile (um diário) e Caracas (diário, de domingo à sexta-feira) na América do Sul.Compensação de passagensOs turbilhões envolvendo a companhia são anunciados no mesmo dia em que a Varig confirmou ter sido expulsa do sistema de compensação de passagens da Associação Internacional de Transporte (Iata). Apesar disso, a companhia aérea não soube precisar quais problemas os clientes enfrentarão e nem quantas pessoas serão prejudicadas. A empresa ressaltou ainda que seus passageiros no exterior, em caso de suspensão de rotas, serão encaminhados a outras companhias de transporte aéreo ou então à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). No mesmo dia, a companhia aérea Star Alliance, por sua vez, informou que continuará trocando bilhetes da Varig. DramaA Varig viveu na última terça-feira um dos dias mais dramáticos de sua história, com o cancelamento de 118 vôos - mais da metade das 208 operações diárias da companhia. Os cancelamentos foram uma conseqüência de decisões judiciais nos Estados Unidos, que determinaram o arresto de 22 aeronaves pertencentes a três empresas de leasing: ILFC, Boeing e GATX. Como a Varig tem outras 16 aeronaves paradas para manutenção, restam 23 em operação. Há um ano, eram cerca de 70.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.