Passagens aéreas puxam IPCA de dezembro a 0,37%

Refeição fora de casa, com contribuição de 0,06%, foi o segundo item que mais influenciou alta

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

13 de janeiro de 2010 | 09h21

A variação de 0,37% no IPCA de dezembro foi "altamente concentrada" em apenas dois itens - passagens aéreas e refeição fora de casa -, segundo destacou a coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos. Ela explicou que, juntos, esses dois itens responderam por 0,18 ponto porcentual, ou quase metade da taxa do mês.

VEJA TAMBÉM:
Inflação oficial fecha 2009 com a 2ª menor taxa em 10 anos
Radar da inflação: veja o rumo dos principais índices

 

Eulina explicou que a retirada de promoções por parte das companhias aéreas e o aumento da demanda na alta temporada influenciaram na alta das passagens.

No que diz respeito à refeição fora de casa (alta de 1,35%, com contribuição de 0,06%), a coordenadora do IBGE observou que esse item tem tido persistente influência sobre a inflação e a alta ocorre, apesar da redução no ritmo do reajuste dos alimentos, porque "os custos dos restaurantes e bares não estão apenas nos alimentos, mas também em tarifas como de energia elétrica e gás e no reajuste do salário mínimo".

 

Texto atualizado às 12h28

Tudo o que sabemos sobre:
IPCAdezembroIBGEpassagens aéreas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.