Passeata gera tensão em Buenos Aires

Uma grande passeata na Avenida 9 de Julho, a maior e uma das principais de Buenos Aires, se dirige rumo ao Banco Central e, posteriormente, à city portenha, onde encontram-se inúmeras agências bancárias de todos os bancos instalados na Argentina. Os manifestantes vão protestar contra o "corralito" e a pesificação dos depósitos em dólares. Estas manifestações tornaram-se diárias no país, porém, a passeata de hoje tem um peso maior devido ao grande número de participantes.O medo de novos ataques e saques por parte de desempregados e pessoas pobres, obrigou a polícia a triplicar o número de homens para vigiar 15 supermercados na periferia da Capital Federal e na província de Buenos Aires. O efetivo policial composto por 60 policiais conta com a infantaria e a cavalaria armadas com balas de borracha e gás lacrimogêneo.Ontem, mais de 300 pessoas concentraram-se em frente à estes supermercados para pedir alimentos. Hoje, algumas pessoas se arriscam e começam a juntar-se em frente aos estabelecimentos. Os frigoríficos e caminhões de transporte de alimentos também são alvos dos desempregados. A polícia também patrulha as rodovias que ontem sofreram vários bloqueios pelo mesmo pedido de alimentos. Em dezembro do ano passado, nove pessoas foram mortas durante os saques aos supermercados. O governo teme que haja novas vítimas, já que os comerciantes se armaram para proteger seus negócios.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.